A histeria no pensamento clínico de Donald W. Winnicott e Masud Khan

Sérgio Gomes e Nelson Ernesto Coelho Júnior


O presente trabalho objetiva redescrever a histeria a partir da teoria das relações objetais e da teoria do desenvolvimento emocional em Donald W. Winnicott e Masud Khan. A partir da teoria das relações objetais e do desenvolvimento emocional primitivo, a histeria pode ser compreendida como uma falha no cuidado do bebê no primeiro ano de vida, acrescido de desenvolvimento sexual prematuro, no qual é possível encontrar núcleos psicóticos e esquizoides, que emergem durante a adolescência ou a vida adulta. Propomos o manejo clínico por meio da psicanálise transmatricial, ou seja, tanto por meio da interpretação e da associação livre, quanto por meio da reparação das falhas ambientais precoces vividas na dinâmica mãe-bebê com o recurso da regressão à dependência.


Palavras-chave: Histeria. Complexo edípico. Teoria das relações objetais. Teoria do desenvolvimento emocional. Winnicott. Khan


Link para o texto:

http://www.cprj.com.br/ojs_cprj/index.php/cprj/article/view/229/205